[Sustentabilidade] Cidades Sustentáveis

Estudos indicam que até 2030 cerca de 6 em cada 10 pessoas ao redor do globo viverão em cidades e, em 2050, a expectativa será de 2/3 da populacão mundial. O futuro está, portanto, nas áreas urbanas. De um lado, as cidades concentram 70% do PIB global em apenas 2% da superfície terrestre. Do lado oposto, as altas taxas de densidade demográfica e o crescimento desordenado acarretam problemas relacionados aos transportes, poluição, destinação inadequada de resíduos sólidos e a segregação de grupos sociais, o que leva à marginalização e criminalidade. 60% do consumo de energia e 70% das emissões de gases do efeito estufa e a produção de resíduos estão relacionados às áreas urbanas. 
cidades sustentáveis
Princípio da responsabilidade compartilhada: indústrias, distribuidores e
varejistas, prefeituras e consumidores são responsáveis pelos próprios resíduos sólidos. 

Leia também:


Êxodo Urbano

Observando esse constante movimento para as cidades, a comunidade internacional vem se esforçando para promover a criação de ambientes urbanos economicamente viáveis, socialmente justos e ambientalmente corretos, ou seja, sustentáveis. Para que haja sustentabilidade, é primordial que haja o correto descarte do lixo, pois se jogado nas ruas, pode entupir bueiros ou parar nos mares levado pela chuva ou pelo vento. 
Leia também:

Nova Agenda Urbana

A reunião intitulada Habitat III, realizada em Quito, capital do Equador, em 2016, é um dos principais esforços na busca por cidades sustentáveis. A conferência reuniu representantes de todos os países-membros da ONU, além de representantes da sociedade civil e pesquisadores. Nela, foi aprovada a Nova Agenda Urbana (clique no link para ler o documento na íntegra.), um documento intergovernamental que deverá guiar políticas de desenvolvimento urbano nos próximos 20 anos. As diretrizes do documento dialogam com os objetivos de desenvolvimento sustentável, em particular, com o 11º objetivo: "Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis". O processo de construção de cidades sustentáveis devem levar em conta todos os níveis sociais e prestar especial atenção às necessidades das pessoas em situação de vulnerabilidade, idosos, crianças e pessoas com deficiências.

Resiliência

No contexto das mudanças climáticas, a resiliência é um fator essencial para qualquer tipo de construção. As cidades sustentáveis devem estar preparadas para prevenir ou mitigar os danos causados por catástrofes ambientais ou eventos extremos, que serão cada vez mais frequentes e mais intensos. Cada cidade deve, portanto, ser capaz de resistir às intempéries como chuvas ou ventos fortes. Deve estar preparada esses imprevistos para uma rápida recuperação.



Responsabilidade Compartilhada

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS - aprovada em agosto de 2010, trouxe importantes instrumentos para que os municípios brasileiros iniciem o enfrentamento aos problemas ambientais, sociais e econômicos dentro desse cenário. O principal pilar da PNRS é o princípio da responsabilidade compartilhada. Isso significa que indústrias, distribuidores e varejistas, prefeituras e consumidores são responsáveis pelos próprios resíduos sólidos. Todos trabalham - ou deveriam trabalhar - pelo bem comum. Todos fazem sua parte para que os resíduos tenham um destino adequado.


Qualidade de Vida


Buscar um melhor ordenamento do ambiente urbano, valorizando a qualidade de vida da população é trabalhar por uma cidade sustentável. Os aspectos que devem ser permanentemente aprimorados são:

  • Melhoria da mobilidade urbana com a busca de transportes cada vez menos poluentes.
  • Redução da poluição sonora e atmosférica.
  • O descarte adequado dos resíduos sólidos.
  • A eficiência energética, dando preferencia as energias solar e eólica.




Postagens mais visitadas deste blog

Identificação Civil Nacional (ICN)

Posse de Novo Secretário Geral da ONU

[Mudanças Climáticas] Delegação Brasileira Avalia a COP 22