Você Sabe o que é Economia Verde?

Você sabe o que é? Não há uma definição universalmente aceita de economia verde. Apesar disso, há consenso sobre qual seria a ideia básica na qual ela se apoia, que é a de que o crescimento econômico, o progresso social e a gestão ambiental podem ser objetivos estratégicos complementares. Nesse tipo de economia, o crescimento e a responsabilidade ambiental devem trabalhar juntos e se reforçar mutuamente, enquanto fomentam o desenvolvimento social. 

economia verde
Economia verde é aquela que resulta em melhoria do bem estar humano,
ao mesmo tempo em que reduz os riscos ambientais e a escassez ecológica.

Leia também:

Definição do PNUMA

Segundo o Programa das Nações unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), o conceito de economia verde como aquela que resulta em melhoria do bem estar humano e da igualdade social, ao mesmo tempo que reduz significativamente os riscos ambientais e a escassez ecológica. Nela, os aumentos da renda e do emprego devem ser impulsionados por investimentos públicos e privados que reduzam as emissões de carbono e a poluição, ampliem a eficiência no uso de energia e recursos e previnam perdas de biodiversidade e de serviços ecossistêmicos. Em suma, ela deve apresentar baixa emissão de carbono, eficiência no uso de recursos naturais e ser socialmente inclusiva. Os três pilares desse conceito são: É pouco intensiva em carbono; É eficiente no uso de recursos naturais e é socialmente inclusiva. 

Novos Rumos


Por ser um termo novo, muitos o apontam como um termo confuso, irrelevante e ineficiente diante dos desafios que se apresentam. Por outro lado, os que tem ciência das consequências das crises ambientais acreditam ser essa uma possibilidade de inserção concretamente das demandas relacionadas ao Desenvolvimento Sustentável na prática econômicaA economia verde é o caminho certo para se chegar ao desenvolvimento sustentável, que se baseia em três pilares fundamentais: econômico, social e ambiental. Em resumo, ela deve apresentar baixa emissão de carbono, eficiência no uso de recursos, evitando o desperdício e ser socialmente inclusiva. No contexto das empresas, como vimos, entende-se que o desenvolvimento sustentável se baseia em três pilares - econômico, social e ambiental. Nesse sentido, uma economia verde deveria ser vista como uma economia de baixo carbono.





Política Intergovernamental


No entanto, nas discussões sobre políticas intergovernamentais, faz sentido se valer da economia verde como um tema unificador e uma direção na qual todas as economias deveriam se empenhar em seguir, a fim de alcançar o desenvolvimento sustentável. A noção de economia verde seria um meio para se chegar a um fim e está inserida no conceito mais amplo de desenvolvimento sustentável. Hoje, há um reconhecimento crescente de que a sustentabilidade, depende de se adotar o modelo certo de economia, principalmente porque, como observa o Pnuma, décadas de criação de riquezas por meio de um modelo de economia "suja" e atrasada não lidaram bem com a marginalização social e o esgotamento de recursos. Logo, ainda que o desenvolvimento sustentável seja o objetivo de longo prazo, a economia verde é o caminho que nos permitirá chegar lá. Para os governos, o pilar ambiental deveria ser o mais importante na transição para a economia verde. Isso porque, se esgotarmos os recursos naturais com a exploração predatória, não haverá desenvolvimento econômico e muito menos justiça social. Ainda mais, sob a ameaça do aquecimento global, os governos deveriam se preocupar em que essa transição assegurasse uma redução radical das emissoes de gases de efeito estufa. 


O "New Deal" do Século XXI


Após o início da crise financeira, a ideia de economia verde ganhou novo impulso, visto que passou a ser associada a ações de recuperação econômica semelhante às do "New Deal". Esse "novo acordo", vale lembrar, foi a estratégia lançada nos Estados Unidos pelo presidente Franklin Roosevelt, após a crise de 1929, com base nas ideias do economista John Maynard Keynes. Compreendia a forte atuação do Estado no planejamento econômico e uma série de pacotes de estímulo lançados entre 1933 e 1938 que criaram empregos por meio de ambiciosos programas governamentais, incluindo a construção de estradas, represas e escolas. Em comparação com a Grande Depressão, a saída para a crise iniciada em 2008 precisaria ser estimulada por meio de investimentos estatais em conservação de energia e tecnologias e tecnologia de baixo carbono. Surge então um "Green New Deal", que seria capaz de criar "empregos verdes" - aqueles que ajudam a reduzir a pegada de carbono e outros impactos ambientais - o que serviria para atacar tanto o desemprego quanto o aquecimento global.

Novas Tecnologias

No longo prazo, novas tecnologias amigáveis ao meio ambiente poderia ser um motor capaz de gerar várias décadas de expansão econômica. A conversão da economia de baixo carbono poderia levar a um novo boom, impulsionado pelas inovações tecnológicas que alterarão o uso de energias e materiais, pela renovação de grande parte da infraestrutura e pelos investimentos nessa conversão. Esses investimentos poderão desempenhar o papel que as ferrovias, a eletricidade e os veículos automotores tiveram em períodos anteriores da história.

Postagens mais visitadas deste blog

Identificação Civil Nacional (ICN)

[Mudanças Climáticas] Delegação Brasileira Avalia a COP 22

[Sustentabilidade] Acordo de Kigali