Extrapolando os Limites do Planeta

O artigo de hoje é baseada no livro de Eduardo Felipe P. Matias, intitulado A Humanidade Contra as Cordas. Dividirei esse post falando sobre os limites do planeta em duas partes para não ficar longo demais.

A consciência coletiva de que estamos afetando o planeta de forma praticamente irreversível,  e que isso terá consequências sérias para a humanidade, é uma mentalidade que foi se formando pouco a pouco durante as últimas décadas. Hoje, os cientistas do clima já não tem mais dúvida quanto ao papel do homem, principalmente devido as atividades humanas,  na mudança climática. Para tudo o que fazemos, um dia a conta chega. Em outras palavras, para toda ação existe uma reação. E essa reação virá da força mais poderosa que existe: a natureza. Portanto, deve-se começar a agir agora para evitarmos problemas futuros. Em 1962, a bióloga marinha e zoóloga estadunidense Rachel Carson publicou o livro Primavera Silenciosa (Silent Spring), falando das consequências ambientais, como a contaminação do ar, do solo, dos oceanos. A obra é, até hoje, considerada um dos principais precursores do movimento ecologista. Na época de sua publicação, já era possível afirmar que a história da vida na Terra tem sido a da interação entre seres vivos e aquilo que os cerca. Porém, no século XX, uma espécie - a humana - adquiriu um poder significativo para alterar a natureza de seu mundo.


limites do planeta
Estamos vivendo hoje o Antropoceno, na qual os humanos são a
principal força motriz das mudanças no sistema terrestre.


Leia também:


Por conta disso, para alguns autores, estaríamos assistindo a uma mudança de período geológico.Vivemos atualmente no Holoceno período interglacial que começou por volta de dez mil anos atrás. Foi o ambiente relativamente estável do Holoceno que permitiu que a agricultura e sociedades complexas (como a nossa) florescessem. A queia dos combustíveis fósseis é o primeiro exemplo da atividade humana, em escala global, capaz de provocar uma mudança radical no clima e pôr em risco a biosfra. Por isso, a partir da Revolução Industrial nosso planeta teria saído do Holoceno e entrado no Antropoceno. Uma nova era na qual os humanos passaram a ser a principal força motriz das mudanças no sistema terrestre e começaram a pressionar nosso planeta para além das margens de variação do Holoceno.

Em 2009, um grupo de cientistas chegou à conclusão de que as pressões antropogênicas sobre o sistema terrestre alcançaram uma escala na qual uma mudança ambiental global abrupta ou irreversível não pode mais ser descartada. Esses autores definiram "limites" ou "fronteiras" planetários que, se ultrapassado, poderiam trazer efeitos catastróficos para a humanidade

Irei falar sobre esses limites em um próximo post, portanto não deixem de acompanhar o blog para mais novidades.

Leia a segunda parte desse artigo clicando aqui.

Postagens mais visitadas deste blog

Identificação Civil Nacional (ICN)

[Sustentabilidade] Acordo de Kigali

[Acordo de Paris] A Meta Foi Alcançada